Portal de Notícias Independente

Sexta-feira, 19 de Abril de 2024

Brasil

A inevitabilidade da prisão de Jair Messias Bolsonaro

Bolsonaro está no epicentro de uma série de crimes e ações que ameaçaram e continuam ameaçando a estabilidade institucional e a ordem democrática

La Gauche
Por La Gauche
A inevitabilidade da prisão de Jair Messias Bolsonaro
(Foto: Paulo Pinto/Agência Brasil)
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

CLIQUI AQUI- para receber notícias da Lagauche e da LGTV no WhatsApp

O cenário político no Brasil enfrenta um momento crucial em sua trajetória democrática. Jair Messias Bolsonaro, ex-presidente e futuro presidiário, figura central do golpismo na política brasileira, está no epicentro de uma série de crimes e ações que ameaçaram e continuam ameaçando a estabilidade institucional e a ordem democrática. Neste artigo, examinaremos os eventos que tornam a prisão de Bolsonaro inevitável.

A permanência na Embaixada da Hungria - Nos dias 12 a 14 de fevereiro de 2024, Bolsonaro buscou asilo político na Embaixada da Hungria. Essa permanência injustificada tinha um objetivo claro: obstruir as investigações em curso. Transformando a embaixada em um verdadeiro bunker golpista, Bolsonaro tentou escapar da Justiça e minar o processo legal.

Publicidade

Leia Também:

A relação com Silas Malafaia - Bolsonaro mantém uma relação perniciosa com Silas Malafaia. Esse autoproclamado líder religioso tem sido um dos principais propagadores de discursos de ódio e desinformação. Juntos, Bolsonaro e Malafaia promovem ataques sistemáticos contra as instituições republicanas, com foco especial no Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Alexandre de Moraes é frequentemente alvo desses ataques, evidenciando a tentativa de desestabilizar o Judiciário.

O envolvimento dos militares - Bolsonaro, um ex-militar, não hesitou em envolver as Forças Armadas em sua cruzada contra a democracia. Seu governo foi marcado por uma militarização excessiva, com a presença de militares em cargos-chave. Essa relação estreita com os militares criou um ambiente propício para ações antidemocráticas e golpistas.

Os atos na Avenida Paulista - No dia 25 de fevereiro de 2024, Bolsonaro protagonizou um episódio que escancarou sua covardia e repugnância moral perante todo o país. Na Avenida Paulista, ele “desavergonhadamente” pediu anistia para seus próprios crimes. Essa audácia revela sua consciência da inevitabilidade de sua condenação. Bolsonaro não busca redenção; ele busca impunidade.

Assim, a prisão de Jair Messias Bolsonaro é uma questão de Justiça e defesa do Estado democrático de direito. O Brasil não pode permitir que líderes políticos se coloquem acima da lei. A inevitabilidade da prisão é um imperativo para a preservação da democracia e a responsabilização por crimes cometidos. Sem Anistia para Golpistas!

 

https://l1nk.dev/PetnaAmazon

 

BUSQUE SUA CURA COM TERAPIAS COMO REIKI E CONSTELAÇÃO SISTÊMICA FAMILIAR

FONTE/CRÉDITOS: Ivan Rios
Comentários:
La Gauche

Publicado por:

La Gauche

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s, when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book.

Saiba Mais

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )